Pesquisa em LivreSocial

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Agência britânica em luta contra Microsoft

Recentemente participei de uma discussão de muito bom nível com o Dennes, sobre a Microsoft. Conheci fatos que eu não conhecia, e expus minha opinião acerca de pontos onde éramos discordantes. Lá discutimos um bocado sobre licenciamento da MS. Um ponto que ficou marcado foi o fato de não compartilharmos de mesma visão sobre a ação do atual governo federal em relação a sua preferência por software livre, e por passar a ser de uso preferencial, isto garantido por lei, além de muita conversa sobre TCO.

Agora, leio aqui que a BECTA (British Educational and Technological Agency) se queixa do Vista e da interoperabilidade de documentos. Fui ler a notícia na fonte e procurar apresentar ela com detalhes relevantes.

O Relatório de Janeiro de 2007

O pontapé inicial para este chegar a este ponto foi um relatório de janeiro de 2007, que em resumo destaca que:
  1. Em relação ao Vista:
    1. Os melhoramentos adicionam valor mas não o justificam no meio educacional
    2. Sua distribuição é considerada de alto risco
  2. Em relação ao Office 2007:
    1. Foi considerado extremamente estável no XP, e por isto o XP seria uma excelente plataforma tanto para o Office2007 como para os concorrentes, os quais também foram avaliados. Entretanto, é relatam também que 6 dos 9 concorrentes providenciaram 50% da funcionalidade do Office 2007
    2. Foi feito uso de um modelo próprio para estimar o custo envolvido na atualização para o Office 2007 nas escolas, e este modelo considera custos com atualização de hardware, licenciamento , esforço de atualização de hardware e software, e o custo de treinar, distribuir e testar. Considerando este modelo na estrutura educacional atual do Becta, se conclui um valor de:
      1. 4000 liras para uma escola primária típica;
      2. 26000 liras para uma escola secundária típica;
      3. 167 milhões de liras para todo o sistema educacional Inglês
    3. No momento de criação deste documento (janeiro de 2007), não foi achado benefício significante que justificasse a adoção do Office 2007
  3. Em relação à interoperabilidade de documentos Office 2007
    1. Interoperabilidade entre produtos MS foi considerada satisfatória (testes incluíram o MS Works)
    2. Todos os testes feitos com os competidores apresentaram problemas, pois ennhum suportava os novos formatos de arquivo do Office 2007
    3. Becta recomenda que as instituições educacionais só devem considerar o Office 2007 quando estiver garantida esta interoperabilidade.
Como recomendações finais, este relatório recomenda que a MS promova modificações nestes 3 quesitos.

Pesquisa sobre Licenciamento Acadêmico da Microsoft

Além disso , este documento mostra detalhes interessantes sobre as impressões dos programas acadêmicos dos softwares Microsoft adquiridos. A conclusão final é que:
  1. Forte tendência das instituições de ensino de passarem a estar presas ao licenciamento da Microsoft
  2. Alta complexidade que levou a falta de compreensão a nível institucional, o que resultou em amplo uso de estratégias inapropriadas de licenciamento.
Consequências destas observações

Becta afirma ter mantido comunicação com a MS para que as modificações necessárias sejam feitas. Embora algo tenha sido feito por parte do fornecedor, uma quantidade de características fundamentais permaneceram sem solução, principalmente problemas sobre licenciamento e interoperabilidade entre documentos, considerando pais e alunos que querem usar alternativas à MS, incluindo as livres e/ou gratuitas.

Por causa deste impasse, Becta abriu uma reclamação junto ao OFT, na esperança que isto ajude a agilizar a solução do problema pela MS. Neste meio tempo, Becta avisa às instituições de ensino que a atualização para o Office 2007 ocorra quando a interoperabilidade entre com produtos alternativos esteja satisfatória. Ou seja, MS teria que falar corretamente com o padrão internacional ODF. A OFT seria uma equivalente à nossa defesa do consumidor.

Conclusão

Muito se critica do governo federal brasileiro pela sua preferência pelo Software Livre, mas devemos ver que a motivação deste ato não é tupiniquim. Software Livre tem se mostrado uma tendência mundial, e aparentemente incondicional. Posso citar aqui alguns exemplos, como este e este na França, este e este na Alemanha, África do Sul, este estudo na Itália, estes planos do governo da Eslovênia,as cidades Ribeirão Pires, Recife, Itajaí e Arapiraca, os estados Rio Grande do Sul, Goiás, entre diversos outros exemplos nacionais e internacionais. É difícil continuar crendo que isto é uma obrigação imposta pelo governo federal a tantas cidades e países. Aliás, aqui está um texto longo de 2004, mas muito oportuno, questionando a lei de software e assuntos relacionados

O uso de software proprietário, não será nunca descartado. Isto é impossível nos dias de hoje. Entretanto, não há mais como dizer que são melhor solução, ou apresenta melhor qualidade. Agora, não é mais um "bando de nerds" a bradar a qualidade do Free Software, é um órgão respeitável, equilibrado e que procura o melhor para seu uso.

Esta ação da Becta apenas é mais um forte indicativo de que a adoção do Software Livre não apenas é uma alternativa viável, como demonstra que sua qualidade e aplicabilidade tem crescido, e quase mudando o estátus de "viável" para "preferencial".

"Preferencial" de fato e de direito.

4 comentários:

Wallacy disse...

Pocha, você sumiu, muito trabalho, gostava do seus posts, até as respostas para o Dennis no 1/2bit....

Espero que de um tempinho e volte postar...

Gilberto Martins disse...

Cara, faz uma data que eu não escrevo nada, pois estava soterrado de trabalho, mas agora estou retornando, e em 2008 creio que vou estar ainda mais ativo. estou com uma novidade que deve figurar aqui no blog ou em outro site até mais ou menos março de 2008.

Obrigado pela leitura e apoio !!!

Boas festas !!!

Chrisbitt disse...

Bem...demorou, mas aí vai...Sempre com muito brilhantismo a busca pelo direito e acesso de todos ao software livre só podia resultar neste blog. Parabéns pela sua insistência, sua convicção.
Usar as cores do Ubuntu foi um toque de idealismo..rsrsrs.Brincadeiras a parte parabéns pelo trabalho e um ótimo 2008 pra vocês!

Gilberto Martins disse...

Brigadão Cris, e espero que 2008 seja um ano LIVRE para todos nós deste tão calejado, sofrido e deslocado país.

Notícias Linux

Dicas-L: Dicas técnicas de Linux e Software Livre

Ubuntu Dicas

Security Fix

 
Creative Commons License
Blog Livre e Social by Gilberto Martins is licensed under a Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.