Pesquisa em LivreSocial

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Dell vendendo Laptops com Ubuntu pré instalado

O Everton me deu uma notícia que a princípio me deixou animado, mas logo vi que era engano.

No site da Dell (hoje o link é este) você pode configurar o seu modelo selecionando os itens do lado esquerdo. A triste surpresa é observar que somente os Celeron estão disponíveis.

Considerando que quando você compra um laptop na Dell onde o Windows está incluído no preço, você só descobre que foi forçado a comprar o Windows também, e considerando que a Dell entende que Linux só pode funcionar em processadores ultrapassados, seria mais HONESTO da parte da empresa que vendesse o computador SEM NENHUM SISTEMA OPERACIONAL.

Por mais que eu goste da qualidade dos equipamentos Dell, eu não compraria um equipamento deles de jeito nenhum. Veja a seguir a comparação dos preços de laptops de configuração semelhante, um no Brasil e o outro nos EUA.

Sempre me dizem que não devo comparar os preços dos dois países. Se eu não comparar, é possível que eu tenha apenas um como referencial, e não manifeste minha insatisfação, exigindo que meus EMPREGADOS mudem o que tiver que ser mudado.

Prefiro comparar.

 

Para o noticiário da rede Globo, PHP é vírus

É engraçado, terrível, ridículo, irônico, ou seja lá o que for. O jornal Hoje mostra riscos na internet neste link.

No começo, até que não está mal. Fala de uma usuária que descobriu que "ela mesma que instalou o vírus, ao abrir uma dessas mensagens que mandam fotos engraçadinhas". Correto!

A reportagem também fala dos males que um ataque destes pode causar. Corretíssimo!

Um especialista em segurança na internet, Jefferson D'addario, reforça o dano que pode ser causado, usando os falsos emails de banco como exemplo. Perfeito!

Agora (19:00) o site está todo corrigido. Mas no original, o site informa que links que terminam com ".php" podem ser golpe digital. O @programadorreal copiou a tela sabendo que isto aconteceria.

A considerar o curriculum de Jefferson D'addario, ele não teria feito esta afirmação desta forma. É provável que a sua declaração tenha sido revisada ou adaptada para figurar neste "informativo".

Mas fica exposto o despreparo da mídia não muito informada, e também fica o meu aviso para que não caiamos, acreditando nestes erros.

Usuários de IE pensam mais devagar que os outros ?

Um levantamento observou que usuários de IE são menos ágeis no pensamento que os usuários de outros navegadores.

Só falta dizer que é implicância. Vale a pena dar uma lida no artigo original que eu copio aqui na íntegra:

O estudo “Quociente de Inteligência (QI) e Uso de Navegadores”, desenvolvido pela companhia canadense AptiQuant, indica que usuários do Internet Explorer possuem capacidade de raciocínio menor do que aqueles que usam softwares concorrentes. O teste teve como base 101326 pessoas com idade acima de 16 anos, que foram divididas conforme o programa que utilizavam.
Os resultados apontaram que usuários do Internet Explorer 6 possuem QI médio perto de 80 pontos, enquanto aqueles que preferem o Firefox e o Google Chrome obtiveram média de 100 pontos nos testes realizados. Já aqueles que optam pelo Opera e o Camino possuem a pontuação mais alta, com média de 120 pontos.
Outra conclusão da pesquisa é o fato de que quem usava o IE6 em 2006 possuía um QI mais alto do que os usuários atuais do programa. Além disso, a pontuação obtida aumenta conforme a versão do navegador da Microsoft é atualizada.
Público pouco afeito a mudanças
A partir das informações obtidas, os pesquisadores concluíram que pessoas com menor quantidade de QI tendem a resistir mais a mudanças de versões nos navegadores. Aqueles que possuem pontuações maiores tem uma tendência maior a experimentar novos softwares, além de estarem mais atentos a conselhos de segurança e melhorias disponíveis.
O estudo conclui que tais dados são importantes para desenvolver novas maneiras de convencer pessoas a abandonarem de vez programas que representam grande risco devido às falhas de segurança que possuem. Algo que deve atingir principalmente quem usa o Internet Explorer 6, programa que a própria Microsoft concorda que deve ser erradicado.
Caso a pesquisa seja válida para outros softwares, pode explicar porque ainda há quem resista em atualizar o sistema operacional, mesmo quando novas versões se mostram mais eficientes e seguras. O estudo completo (em inglês) pode ser baixado no formato PDF através deste link.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Ah povo brasileiro ... até quando você vai continuar assim ?

Um amigo acaba de conversar comigo que "perdeu" R$ 100,00.

Um "piloto de moto" arrancou o seu retrovisor. A pergunta que não encontra resposta é: Por quê as motos podem fazer isso e não recebem multa? Quando uma moto passa entre dois automóveis, ela não está ultrapassando pela direita? e se é proibido, não deveria ser multado?

Faltam policiais para fazer esta fiscalização. Por quê não reforçar o policiamento de trânsito, ou a SMTU, ou o orgão responsável por isso? O motoqueiro prejudicou um cidadão, que sequer pode anotar a placa do infeliz pois ele se enfiou entre os automóveis e foi embora. Num engarrafamento fica muito fácil para o motoqueiro transgredir e sair tranquilamente com a certeza da impunidade.

Além de ser prejudicado por um irresponsável, ainda teve que lidar com o dia a dia dos nossos preços absurdos. O retrovisor de seu Celta, um carro popular, na autorizada custa o valor de R$ 237,00. Resta ao prejudicado correr atrás, comprando a mesma peça em uma não autorizada por R$ 80,00 e mais R$ 20,00 pela mão de obra.

Até quando o nosso povo vai continuar aceitando ser prejudicado e não cobrar aos nossos EMPREGADOS (deputados, vereadores, senadores, prefeitos, governadores, ministros e presidente) que melhorem as nossas condições de vida?

Até quando nosso povo vai CONTRATAR ESTES EMPREGADOS através do voto e vai deixar estes EMPREGADOS mandarem na nossa vida, prejudicando-nos e se favorecendo com aumentos absurdos de salário ?

SERÁ QUE NUNCA VAMOS REAGIR?

domingo, 24 de julho de 2011

Nossa internet continua muito ruim

Em um outro post meu aqui, eu reclamei da qualidade de nossa internet, principalmente pelos preços altos.

O Ruslan menciona no Google+ uma prova de que nada (ou muito pouco) mudou. O conteúdo do link é o seguinte:
A internet oferece novos serviços atraentes. A locadora Netflix, que pretende chegar ao país até o fim do ano, deve permitir que você assista a um filme com alta resolução transmitido ao vivo pela internet para sua TV. O jogo World of warcraft convida o usuário a brincar com outros on-line em um universo fantástico de batalhas, com grandes detalhes gráficos e uma trama envolvente (leia mais em Mente Aberta). A nova rede Google+ permite transmitir vídeo direto do telefone para seus amigos. Outras empresas oferecem sistemas de videoconferência envolvendo vários interlocutores simultâneos, que funcionariam em trânsito, em seu celular ou no tablet. O problema é que tudo isso não exige apenas aparelhos modernos, como smartphones e tablets avançados. Esses novos serviços dependem de uma conexão de qualidade. E é aí que boa parte dos brasileiros fica a pé.
A infraestrutura de conexão à internet de alta velocidade no Brasil não condiz com um país moderno. A rede brasileira fica devendo até para países da América Latina. No Chile, onde a média da velocidade de banda larga é mais que o triplo da brasileira, paga-se um quinto do preço. O atraso da internet brasileira tem várias causas. Apenas uma natural: a extensão territorial do país. As outras são derivadas de decisões humanas: opções políticas equivocadas, uma carga tributária abusiva e baixa competição entre os poucos fornecedores de serviços. Essa condição precária poderá mudar nos próximos anos se os planos do governo derem certo. Do contrário, perderemos mais uma chance de aumentar nossa competitividade. E de usufruir os prazeres da internet.
A internet brasileira padece de dois males distintos. O primeiro deles é sua escala ainda tímida. Os brasileiros são tidos como campeões de redes sociais. Uma pesquisa realizada pelo instituto Ibope Nielsen mostra que nós somos o povo que mais passa horas na frente do computador, conectados à internet. A média do brasileiro é de 45 horas mensais. Logo depois estão Inglaterra e Estados Unidos, com uma média de 43 e 40 horas de conexão por mês, respectivamente. Somos também o país que mais usa redes sociais – 90% de nossos internautas estão no Orkut, Facebook, Twitter, MSN ou outro site do tipo. Esse sucesso, porém, é ilusório. Reflete o uso intenso de uma minoria com acesso à internet. Apenas 20% da população brasileira tem serviços de banda larga. São 14 milhões de conexões fixas e 28 milhões por aparelhos móveis, segundo dados do Comitê Gestor de Internet, órgão que reúne representantes do governo, das operadoras e da sociedade civil.
O segundo problema é a qualidade. A banda larga fixa, que permite conexões mais rápidas do que a rede móvel (ou 3G), tem velocidade média prometida de 1,7 megabit por segundo. Isso seria o suficiente para baixar em duas horas e meia um filme com qualidade para ver na tela do computador. É uma taxa razoável para a maioria dos serviços que usamos em nosso dia a dia. Mas, na prática, não é o serviço que a operadora de telefonia entrega. Os contratos trazem uma cláusula segundo a qual a velocidade oferecida pode ser até 10% da contratada.
Para complicar, é difícil para o usuário calcular a velocidade real de sua rede. “Se tivéssemos uma regulamentação que exigisse um nível mínimo de qualidade, esse cenário seria diferente”, afirma Luis Minoru Shibata, diretor da consultoria Promon Logicalis. No ano passado, o Ministério Público (MP) enviou um ofício à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) pedindo esclarecimentos sobre a fiscalização da banda larga no Brasil. Num deles, o MP pedia uma definição para qual velocidade seria considerada mínima para alguém vender um pacote de banda larga. Hoje, qualquer serviço que não seja de conexão discada pode levar esse nome.
No início do mês, o governo anunciou os detalhes de um programa ambicioso para levar uma espécie de banda larga popular à maioria da população. O objetivo do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) é massificar a internet até 2014, quando o Brasil sediará a Copa do Mundo de futebol. Até lá, 70% dos municípios brasileiros deverão ter acesso rápido, com 1 megabit por segundo por R$ 35 ao mês. Dá para baixar uma música em 40 segundos. As operadoras fixas Oi, Telefônica, CTBC e Sercomtel foram as primeiras a aderir ao PNBL. Do lado das móveis, a TIM anunciou que levará banda larga 3G para até 1.000 municípios até o final de 2012. A gestão do programa está a cargo da Telebras, estatal de telecomunicações. Pelo acordo, nos lugares onde as operadoras não tiverem interesse em oferecer uma conexão, elas deverão alugar a capacidade de suas centrais para terceiros, sem lucrar com isso.
Para funcionar, o PNBL precisará resolver os entraves da rede brasileira. Se conseguir, além de levar internet para quem não podia pagar, também poderá aumentar a qualidade dos planos que usamos hoje. O primeiro impacto seria no preço. O valor médio de uma mensalidade de banda larga no Brasil, de US$ 28, não é tão acima da praticada no mundo. Aparecemos em 97º num ranking de 167 países publicado pela União Internacional das Telecomunicações. Os mesmos US$ 28 são pagos em Portugal. Nos Estados Unidos, o valor é de US$ 19. A diferença é que a velocidade média da conexão nos outros países é maior. Quando se considera o preço por megabit por segundo (Mbps), nossa banda larga é uma das mais caras, principalmente fora do Sudeste. Em Manaus, pagam-se hoje R$ 130 por uma conexão com a mesma velocidade que o PNBL oferecerá por R$ 35.
Os impostos sobre o preço de um modem de internet chegam a 70%
O plano exigirá investimentos públicos. No início do mês, as operadoras apresentaram um estudo de viabilidade ao governo. Ele prevê que o país poderá chegar a 78 milhões de conexões banda larga em 2014 e a 153,6 milhões em 2020. E a velocidade média seria 12 vezes maior do que a de hoje. Mas, para alcançar essa evolução, seriam necessários gastos de R$ 144 bilhões até 2020, divididos entre o governo e as operadoras. O sucesso do PNBL também depende de um esforço do governo para reduzir a carga tributária. Hoje, o consumidor paga 43% de impostos para assinar um serviço de banda larga. Taxas ainda mais altas incidem sobre os equipamentos usados pelas operadoras. “A empresa paga 70% de imposto para cada modem que usamos para conectar o computador à rede 3G”, diz Eduardo Levy, diretor executivo da Telebrasil, associação que representa as operadoras fixas e móveis. “Esse valor é repassado para a mensalidade dos planos.”
Além disso, não há padronização para a instalação das novas redes nos municípios. Segundo Levy, na cidade de Campinas, no interior de São Paulo, uma operadora precisa da autorização de mais de 65% das pessoas que moram a um raio de 200 metros do local onde ela pretende instalar uma antena. Andando mais alguns quilômetros, na cidade de Piracicaba, a regra é que não se pode instalar uma antena de transmissão a um raio menor do que 100 metros de qualquer construção. “Agora imagine que cada um dos mais de 5 mil municípios brasileiros tenha sua própria legislação”, diz. É um problema enfrentado tanto pelas operadoras móveis, para instalar suas antenas para a rede 3G, quanto pelas fixas, que precisam de obras pesadas para levar seus cabos subterrâneos de fibra óptica.
Outros países tiveram sucesso com planos similares. Na Coreia do Sul, foram mais de dez anos de subsídios intensos do governo para garantir uma banda larga (fixa e móvel) de qualidade a toda população. O governo recolheu menos impostos pelos equipamentos pesados. Mas a entrada de mais clientes de banda larga trouxe uma arrecadação maior na taxa de serviços e compensou as perdas fiscais do governo. No Canadá, que tem diferenças territoriais como o Brasil, o governo criou um fundo para financiar as conexões mesmo nos lugares mais inóspitos, onde as operadoras trabalhariam com prejuízo.
Esses países justificam o investimento com os benefícios trazidos por uma boa internet. O principal impacto da banda larga não é permitir que mais gente possa carregar um vídeo mais rápido no YouTube ou baixar uma partida de futebol em poucos segundos. Também pode trazer para os cidadãos serviços como educação e saúde. E oferecer melhores condições a empresas e trabalhadores autônomos, que dependem cada vez mais de informação e comunicação. Um estudo europeu mostra que programas de popularização de banda larga aumentam até 7% a produtividade nas regiões onde são implantados. É essa conexão que o Brasil precisa fazer.

sábado, 16 de julho de 2011

10 atitudes que farão você dizer “Esse Nerd é pra casar”


Com a popularização da cultura Nerd, a frase “smart is the new sexy” nunca fez tanto sentido. Não se engane, não há nerds burros por aí, há burros que se dizem nerds. Essa mudança cultural onde o estranho virou atraente e a timidez é trunfo na conquista fez com que os Nerds automaticamente virassem bons partidos.
As mulheres também perceberam que os Nerds (ou geeks, whatever) normalmente conseguem os melhores empregos e são mais carinhosos/atenciosos. Em parte isso é verdade. Mas deve-se prestar atenção que também há Nerds sociopatas, chatos, ignorantes e que não tratam as mulheres como deveriam. Por isso esse blog vai ajudar as mulheres com uma lista de qualidades que, se o seu Nerd tiver, mostrará que “esse é pra formar uma Guilda” (pra casar, pô):
1) Dá pause no videogame pra atender sua ligação: você não faz idéia do que é um Nerd pausar seu jogo pra atender uma ligação. Se ele para a partida pra lhe atender ou responder um SMS, case com ele imediatamente;
2) Emprestar o laptop para você usar: nerds possuem muito apego as suas coisas, principalmente tralhas tecnológicas e gadgets. Se o cara empresta o notebook tranquilo pra você usar e ler os PPTs que sua mãe manda, corra pra Vivara mais próxima e encomende as alianças;
3) Trocar assistir Senhor dos Anéis de novo pra ver uma comédia romântica: não importa se ele sabe as falas decoradas, assistir Senhor dos Anéis é sempre um bom programa pra um Nerd. O mesmo vale pra Star Wars, De volta para o Futuro, Star Trek… Trocar qualquer desses filmes pra ver a nova comédia com a Jennifer Anniston significa que você deve envelhecer ao lado dele;
4) Fazer upgrade no seu PC, não no dele: auto-explicativo. Que pessoa abriria mão de melhorar o próprio PC em prol de outra a não ser a sua alma gêmea?
5) Passar a senha da Wireless: isso significa que ele confia a segurança de sua rede wireless a você e melhor, está disposto a compartilhar a banda larga dele com alguém. Acredite, isso é raro. Não deixe esse nerd escapar;
6) Liberar espaço no HD dele pra guardar seus seriados: nerds sempre sofreram com falta de espaço em HD, se o cara libera alguns GB de espaço pra você salvar suas coisas, chame o padre;
7) Deixar você colocar ícones na área de trabalho dele: todo nerd é paranóico com a organização ou falta dela no que diz respeito aos ícones na área de trabalho. Parece bobagem mas o desktop do nerd é como o seu guarda-roupas. Independente do estado de organização, você SABE onde estão as coisas. Se ele deixa você mexer nisso, seus destinos foram traçados na maternidade;
8) Paciência pra ensinar sua mãe a entrar no Orkut: conseguir ensinar a sogra a entrar no Orkut sem babar furiosamente e assistir ela digitar www.orkut.com.br na busca do google sem virar o Kraken são qualidades encontradas em 1 em cada 2 bilhões de Nerds;
9) Aceitar ser vizinho da sua tia no Colheita Feliz: talvez a maior demonstração de abnegação, altruísmo e amor que um Nerd pode dar por membros de sua família. Prepare-se pra juntar as escovas de dentes;
10) Lhe emprestar a conta LVL85 no WOW: jamais existirá outra pessoa tão perfeita para você se amancebar, eu se fosse você se mudaria agora mesmo para a casa dele e passaria o resto de sua vida com ele.

Extraído de  http://blog.bytequeeugosto.com.br/10-atitudes-que-que-farao-voce-dizer-esse-nerd-e-pra-casar/#ixzz1SKCb8oLN

Show de bola o post. Mas jogar "colheita feliz"??? Tudo tem limite!!!
Se você consultar o link acima, não esqueça de ler os comentários.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Planos de Saúde no Brasil

Maurício Ricardo, autor do www.charges.com.br, explica como funciona NA REALIDADE os planos de saúde no Brasil.

http://charges.uol.com.br/2011/07/15/cotidiano-na-sede-de-um-plano-de-saude/

sábado, 9 de julho de 2011

Mais uma vez saímos perdendo


Uma reportagem interessante intitulada "Lucro Brasil faz o consumidor pagar o carro mais caro do mundo" (http://omundoemmovimento.blog.uol.com.br/arch2011-06-01_2011-06-30.html#2011_06-27_18_42_25-142809534-0) traz os seguintes detalhes:

O Brasil tem o carro mais caro do mundo. Por quê? Os principais argumentos das montadoras para justificar o alto preço do automóvel vendido no Brasil são a alta carga tributária e a baixa escala de produção. (...) A explicação dos fabricantes para vender no Brasil o carro mais caro do mundo é o chamado Custo Brasil, isto é, a alta carga tributária somada ao custo do capital, que onera a produção. (...) A indústria culpa também o que chama de Terceira Folha pelo aumento do custo de produção: gastos com funcionários, que deveriam ser papel do estado, mas que as empresas acabam tendo que assumir, como condução, assistência médica e outros benefícios trabalhistas.
...
Pois bem: o Brasil fechou 2010 como o quinto maior produtor de veículos do mundo e como o quarto maior mercado consumidor, com 3,5 milhões de unidades vendidas no mercado interno e uma produção de 3,638 milhões de unidades. Três milhões e meio de carros não seria um volume suficiente para baratear o produto? Quanto será preciso produzir para que o consumidor brasileiro possa comprar um carro com preço equivalente ao dos demais países?
... 
Quer dizer: o carro popular teve um acréscimo de 0,9 ponto percentual na carga tributária, enquanto nas demais categorias o imposto diminuiu: o carro médio a gasolina paga 4,4 pontos percentuais a menos. O imposto da versão álcool/flex caiu de 32,5% para 29,2%. No segmento de luxo, o imposto também caiu: 0,5 ponto no carro e gasolina (de 36.9% para 36,4%) e 1 ponto percentual no álcool/flex. Enquanto a carga tributária total do País, conforme o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário, cresceu de 30,03% no ano 2000 para 35,04% em 2010, o imposto sobre veículo não acompanhou esse aumento.
...
As montadoras têm uma margem de lucro muito maior no Brasil do que em outros países. Uma pesquisa feita pelo banco de investimento Morgan Stanley, da Inglaterra, mostrou que algumas montadoras instaladas no Brasil são responsáveis por boa parte do lucro mundial das suas matrizes e que grande parte desse lucro vem da venda dos carros com aparência fora-de-estrada
...
O analista Adam Jonas, responsável pela pesquisa, concluiu que, no geral, a margem de lucro das montadoras no Brasil chega a ser três vezes maior que a de outros países.


O Uol traz a continuidade intitulada "Por que o carro é mais barato na Argentina e no Chile?". Esta matéria pode ser lida emhttp://omundoemmovimento.blog.uol.com.br/arch2011-06-01_2011-06-30.html#2011_06-27_18_42_25-142809534-0

Alguns dos trechos interessantes desta matéria:

A ACARA, Associacion de Concessionários de Automotores De La Republica Argentina, divulgou no congresso dos distribuidores dos Estados Unidos (N.A.D.A), em São Francisco, em fevereiro deste ano, os valores comercializados do Corolla em três países:
No Brasil o carro custa US$ 37.636,00, na Argentina US$ 21.658,00 e nos EUA US$ 15.450,00.
Outro exemplo de causar revolta: o Jetta é vendido no México por R$ 32,5 mil. No Brasil esse carro custa R$ 65,7 mil.
...
Quer mais? O Gol I-Motion com airbags e ABS fabricado no Brasil é vendido no Chile por R$ 29 mil. Aqui custa R$ 46 mil.O Corolla não é exceção. O Kia Soul, fabricado na Coréia, custa US$ 18 mil no Paraguai e US$ 33 mil no Brasil. Não há imposto que justifique tamanha diferença de preço.  
...
E porque o consumidor brasileiro paga mais do que os outros? “Eu também queria entender – respondeu Takanobu Ito – a verdade é que o Brasil tem um custo de vida muito alto. Até os sanduíches do McDonalds aqui são os mais caros do mundo”.“Se a moeda for o Big Mac – confirmou Sérgio Habib, que foi presidente da Citroën e hoje é importador da chinesa JAC - o custo de vida do brasileiro é o mais caro do mundo. O sanduíche custa US$ 3,60 lá e R$ 14,00 aqui”. Sérgio Habib investigou o mercado chinês durante um ano e meio à procura por uma marca que pudesse representar no Brasil. E descobriu que o governo chinês não dá subsídio à indústria automobilística; que o salário dos engenheiros e dos operários chineses não são menores do que os dos brasileiros.“Tem muita coisa errada no Brasil – disse Habib, não é só o preço do carro que é caro. Um galpão na China custa R$ 400,00 o metro quadrado, no Brasil custa R$ 1,2 mil. O frete de Xangai e Pequim custa US$ 160,00 e de São Paulo a Salvador R$ 1,8 mil”.
...
“O preço não tem nada a ver com o custo do produto. Quem define o preço é o mercado”, disse um executivo da Mercedes-Benz, para explicar porque o brasileiro paga R$ 265.00,00 por uma ML 350, que nos Estados Unidos custa o equivalente a R$ 75 mil. “Por que baixar o preço se o consumidor paga?”, explicou o executivo.
...


Ler este texto me dá a impressão que estamos com muito dinheiro sobrando.

Não pague pelo que você não quer

Mais uma das minhas tentativas de alertar um povo adormecido ...
Até quando vou insistir com isso, eu não sei ...
Mas sinceramente espero que não mais por muito tempo.

Não pague pelo que você não quer!!!

É uma prática em nosso país. Conversando com Everton, ele me mostrou a nota fiscal da compra de seu Dell, onde o Windows aparece com o valor incluído. Na época, a versão do Windows custou mais de R$ 200,00. De R$ 1798,00 pago no final, sem os extras (SO, Anti virus, etc) teria saido por R$ 1446,34. Ele comprou um computador e foi OBRIGADO a pagar por software que nunca usou.

Sei que o brasileiro não tem hábito de ler. As vezes, confessa que nem gosta de ler. Mas eu lhe pediria que deixasse de ler a quantidade absurda de mensagens de auto ajuda, de piadas imbecis, de ver fotos de mulheres peladas, ou de ler avidamente acerca da circunferência da barriga do Ronaldinho, ou do penteado "esperto" do Neymar, ou da menina que engravidou dele e que não precisa fazer mais nada pelo resto da vida, ou do que aconteceu na novela de ontem, enfim ... deixe de ler sobre estes assuntos importantíssimos para teu próprio futuro, e dê ao menos uma rápida passada de olhos nos links abaixo.

Você pode ter sido defraudado nestes valores também. Ah sim, esqueci de um comentário muito comum: "é, tá certo. Mas foi pouca coisa." Pode me mandar a diferença, pois farei bom uso dela!!!

Dell paga reembolso a consumidor
Reclamacao de consumidor
Israelita consegue devolução pelo Windows
Interessante discussão sobre o assunto


E finamente, no site da Dell, as orientações e condições de devolução de software


Por que ainda precisamos ser SUBTRAÍDOS A FORÇA tendo que pagar por aquilo que não queremos?
Não estou falando do Windows ser bom ou não, de ser seguro ou não, de ser ou deixar de ser.
Estou falando de estar comprando um computador e ser OBRIGADO a pagar por algo que eu posso não precisar. É claro que há os que realmente precisam, e não é para estes que escrevo este email. É para os que não aceitam a famosa técnica "se colar colou" que se pratica aqui no Brasil, pra tudo. Se lembram da diferença dos preços dos automóveis ?

Notícias Linux

Dicas-L: Dicas técnicas de Linux e Software Livre

Ubuntu Dicas

Security Fix

 
Creative Commons License
Blog Livre e Social by Gilberto Martins is licensed under a Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.