Pesquisa em LivreSocial

domingo, 7 de março de 2010

Windows 7 sendo "analisado" pela MS a cada 90 dias

Em The Inquirer, foi publicado um interessante artigo que trará aos espertinhos de plantão uma grande dor de cabeça. A cada 90 dias a MS fará uma inspeção no Windows 7 instalado em cada máquina do mundo procurando os sistemas operacionais que foram instalados por meio de métodos que burlam o WAT (Windows 7 Activation Technologies). O título deste artigo é você não possui o seu computador, mas sim a MS.

Mas tem um detalhe neste artigo que muito me chamou a atenção: Mesmo que você esteja usando uma versão legítima, que foi comprada por você, seu sistema será examinado para confirmar que não há nada errado. Se houver seu sistema voltará a ser uma versão não registrada, seu papel de parede será preto e você terá que provar à Microsoft que sua cópia é genuína ou comprar uma cópia genuína.

Os insistentes que tentarem burlar os métodos de validação da MS passarão por maus momentos, a cada 90 dias. Uma punição incômoda para os que preferirem manter à força o Windows 7 em suas máquinas.

Passa a ser cada vez mais interessante analisar alternativas de software livre, como o Ubuntu e Fedora.

Usuários simples lidando com atualizações

Já foi tempo em que se costumava dizer que Linux não foi feito para usuários simples, pois tem que lidar com complicados processos de instalação, uma quantidade enorme de atualizações, complicadas e outras coisas.

Assim, seguindo esta lógica, Windows seria muito mais fácil de usar, sendo mais indicado para os usuários finais. Entretanto, não é bem isto que tem sido visto ultimamente.

O site FudZilla mostra um artigo sobre as incessantes atualizações que um usuário Windows tem que fazer: em média uma atualização a cada 5 dias. A ComputerWorld tambem tem um artigo sobre o mesmo assunto. Estas atualizações de segurança não dizem respeito unicamente ao Windows, mas são atualizações dos softwares utilizados.

Thomas Kristensen do Secunia conclui ser muito difícil esperar que os usuários tenham tanto tempo disponível para estas atualizações, fora o fato de que são processos de atualização de diferentes fornecedores de software.

Esta conclusão foi obtida a partir do software PSI da própria Secunia. Este software relaciona qual dos softwares instalados precisam ser atualizados. É importante ressaltar que o PSI apenas examina e reporta falhas, mas não as corrige.

Sendo gratuito, o PSI pode ser baixado daqui.

Dos usuários do PSI, metade tiveram 66 ou mais programas de 22 ou mais empresas diferentes e suas máquinas. Em 2009, concluiu-se que um usuário comum teve que lidar com quase 300 vulnerabilidades, e considerando a quantidade de fornecedores de software representados em suas máquinas, foi preciso lidar com 75 correções de software ao longo do ano.

Para complicar, algumas correções causam erros. Em janeiro de 2010, uma atualização do Windows 7 causou diversos outro pequenos problemas, e como congelamentos esporádicos de telas, e até mesmo congelamento durante a inicialização do SO.

De forma irônica, em 25/02/2010 o site The Inquirer comenta que o Windows 7 já recebeu mais bandagens que uma múmia egípcia, num artigo assinado por Spencer Dalziel.

De forma comparativa, o sistema operacional Linux, em suas mais conhecidas versões (Fedora, Ubuntu, etc) conseguiu simplificar tremendamente o processo de atualização de software, se forem considerados os softwares que são instalados através de seus repositórios próprios.

segunda-feira, 1 de março de 2010

Tipos de usuário

O G1 publicou uma reportagem muito interessante sobre Linux. Considerando a natureza generalista do G1, ou seja, ele não é dedicado a uma única área (só esportes, só cultura, etc), achei o conteúdo do texto muito bom, apesar da chuva de ataques dos comentários.

De forma geral, o artigo está excelente para leigos, faltando uma pequena melhora no que se relaciona a compatibilidade com hardwares, pois o texto deixa uma impressão que é o SO que deve se preocupar em ser compatível com o dispositivo. Deveria ser dito que existem listas de compatibilidade específicas de uma distro como a HCL para Ubuntu, ou HCL de RH ou listas genéricas para linux independente da distribuição.

Outra coisa que poderia ser melhorado é que usuário final apenas USA e não realiza procedimentos técnicos. Este usuário LEIGO tem sua profissão/negócio, e não quer fazer nada com o computador que seja diferente de usá-lo. Para ele, o computador é apenas uma ferramenta, como um torno ou uma máquina de fotocópia. Ele se preocupa mais em aproveitar o conjunto (hardware + software) para o que lhe interessa, do que qualquer outra coisa.

Quando o usuário sabe desfragmentar, sabe olhar a estrutura de diretórios e identificar a função de alguns diretórios especiais (Arquivos de Programas, Documents and Settings, etc), sabe esvaziar o cache de um browser, acredito que este usuário pode ser considerado como AVANÇADO. O usuário AVANÇADO lê um pouco mais sobre o funcionamento do seu sistema, procura por dicas na instalação de softwares, sabe um pouco sobre manutenção simples do SO. Mesmo assim, ele não realiza procedimentos mais complicados, que exigem algum conhecimento teórico. Alguns usuários AVANÇADOS não passam daí. E quando passam, estão no caminho de se tornarem TÉCNICOS.
Neste ponto em diante, uma grande catástrofe está por acontecer. Aqui, pessoas de todas as áreas compartilham de um senso comum: se auto-proclamam TÉCNICOS DE INFORMÁTICA. As suas mães fala deles com orgulho: "Meu filhos sabe mexer com computador", já que nossas mães em geral não sabem explicar nossas profissões para seus conhecidos ...

Quase todos não sabem o mínimo necessário, e se chamam profissionais. Este momento é o purgatório da informática, com cegos andando de um lado para o outro, esbarrando entre si, e querendo sair daquele tormento à custa do desprezo e difamação dos outros. Sim, um TÉCNICO DE INFORMÁTICA fala mal do outro, para crescer. Um crescimento falso, podre e viciante.

"D. Espafregunda, seu computador está uma miséria por causa do técnico que esteve aqui antes. Mas EU vou dar um jeito nisto".

Estes são verdadeiros zumbis, mortos-vivos, vampiros que vivem dos outros. Alguns vão permanecer neste tormento para todo o sempre, enquanto outros vão adquirir mais conhecimento, vão procurar certificações, faculdades, pós-graduação, e como um pokemon (argh!!), vão evoluir.

Daqui em diante, serão profissionais de diferentes níveis em diversas áreas. Deixarão guardados na memória com muito prazer, os dias de Noobies, lembrarão do pré-parto de Script Kiddies (os que os foram) e gozarão das benesses de um profissional autêntico.

Profissional autêntico? Onde está o Conselho da Classe ??? Mas isto é tema para outras elocubrações ...

Por isso, usuário leigo não instala programa nenhum nem no Linux, nem no Windows, nem em SO nenhum. Este engano é o mesmo que associa hackers a criminosos.


Fora isto, a matéria está quase perfeita.

Notícias Linux

Dicas-L: Dicas técnicas de Linux e Software Livre

Ubuntu Dicas

Security Fix

 
Creative Commons License
Blog Livre e Social by Gilberto Martins is licensed under a Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.